54% da população brasileira, os negros são subrepresentados no serviço público, especialmente em cargos da alta gestão e tomada de decisão.

Temos a convicção da urgência de tornar essa pauta mais evidente no setor público e em toda a sociedade. Pois afinal, numa sociedade racista, não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Vamos juntas e juntos?

 

Representatividade e diversidade importam e geram impactos diretos na qualidade e no acesso aos serviços públicos prestado à população. Só é possível trabalhar pela melhoria do serviço público brasileiro reservando prioridade para o debate racial. Discutir raça e propor soluções governamentais com esse recorte, é o caminho para o combate efetivo das desigualdades.

 

AII-01.png
 
Médica, Rita Helena

"Profissionais de saúde negros são subjulgados e desvalorizados por conta do racismo estrutural", médica negra carioca desabafa sobre desafios na saúde brasileira.

Biomédico, Eduardo Bezerra

"A questão racial é vital, somos um país onde hierarquicamente nosso poder é branco.", biomédico afroindígena pernambucano afirma sobre as pautas na saúde e governo brasileiro.

Maria Lucia 

"Leio muitas mulheres negras, como Sueli Carneiro, para ficar forte, chegar inteira e plena no trabalho." Bisneta de escravizada, Maria Lúcia é funcionária pública negra na linha de frente contra o COVID-19

Sandra Conceição

"Já ouvi que negros não tem perfil pra gestão: e quem tem esse perfil? quem determina?" Questiona Sandra Conceição, pedagoga hospitalar, negra e que atua na saúde em São Paulo.

 

Acreditamos que transformações acontecem a partir de pessoas.

 

Por isso, é urgente retratar um serviço público brasileiro representativo e uma agenda de ações propositivas antirracistas. “Onde estão os negros no serviço público?” é a provocação inicial que fazemos para você. 

 

A falta de dados e medidas para o combate da desigualdade racial nos cargos de liderança da gestão pública, reverbera na formulação e execução de políticas públicas. Um governo representativo é o primeiro passo para o combate efetivo das desigualdades. 

 

Esse e-book é um estudo e provocação inicial sobre a temática, uma maneira de reforçar a urgência do debate, evidenciar os dados existentes, apresentar medidas e o mais importante, mostrar que vidas negras importam e o combate ao racismo precisa começar por dentro do Estado.

 

 

Fórum

O Fórum “Onde estão os negros no serviço público?” é um convite a refletir o papel do Estado no combate ao racismo. Trazendo para a pauta pública a urgência do debate sobre ações afirmativas e medidas na gestão pública para a garantia da participação efetiva dos negros nos espaços de poder e em todas as esferas do Setor Público. 

 

Profissionais públicos, políticos e intelectuais debatem coletivamente o passado, presente e o futuro das pessoas negras na gestão pública brasileira.

 

A pluralidade e a diversidade são ricas e efetivas e têm potencial de construir governos melhores. Quando pessoas negras se movimentam, toda a sociedade se movimenta positivamente também.

 

 

Essa é uma parceria da Arapyaú, Humanize, Fundação Lemann e República.org

Como podemos impulsionar a diversidade racial nas lideranças do setor público?

Queremos reconhecer e impulsionar o trabalho de quem está promovendo equidade racial no setor público.

Criamos o Desafio Lideranças Públicas Negras para evidenciar as iniciativas que estão gerando oportunidades em posições de liderança para profissionais negros no setor público.

  • Premiação de R$ 10.000,00

  • Submissão de 20/11 a 13/12

Desafio Lideranças Públicas Negras

 

Realizador

REPORG_Marca.png
  • social media icons-06
  • social media icons-05
  • social media icons-04

Parceiros

af logo arapyau fundo branco cmyk.png
Coral background transparente Cortada.pn

Apoiadores